Bem-Vindo! Hoje é dia

Hipnose

"É neutra, capaz de gerar experiências terapêuticas ou sintomáticas."
"A hipnose é um estilo orientado para uma meta".
"A hipnose é como um veículo da Psicologia Positiva".
"É um estado de disposição para utilizar aprendizagens".

Milton Erickson.

O QUE FAZ A HIPNOSE?

  • Focaliza no que dá certo e amplifica isto;
  • Ajuda as pessoas a descobrirem recursos internos;
  • Reforça a habilidade das pessoas de superar percepções auto-limitantes.

 

POR QUE USAR HIPNOSE?

  • Toda terapia envolve o uso de sugestão;
  • Oferece insights sobre a experiência subjetiva;
  • Ressalta a maleabilidade da experiência;
  • Melhora o senso de controle pessoal;
  • Tem aplicações multidimensionais;
  • Melhora a flexibilidade;
  • Melhora o resultado do tratamento.
  • A hipnose não aumenta a precisão da memória ou de revivências literais.

 

PRINCIPAIS MODELOS DE HIPNOSE

  • Tradicional;
  • Padronizado;
  • Utilização - Ericksoniano (interativo)

 

O QUE SE DESENVOLVE NA HIPNOSE

"Não se deriva das sugestões de "per se", mas como o paciente internamente processa e idiossincrasicamente utiliza estas sugestões".

Marlus Vinivcius

 

A HIPNOSE ERICKSONIANA É:

  • Permissiva: você pode, o indivíduo quer;
  • Naturalística: as pessoas passam por várias experiências de focalizar a atenção durante o dia;
  • Estratégica: utiliza estratégias para transmitir mensagens e para indução do transe. Essa já estava ,mas não estou achando boa mais. Veja se essa é melhor . é do livro e mais ou menos assim.(é um principio fundamental de soluções de problemas humanos, que permite ao terapeuta desenvolver ou criar técnicas especializadas para enfrentar desafios emocionais e psicológicos;
  • Experiencial: permite a vivência de experiências fisiológicas, afetivas, comportamentais, cognitivas, relacionais, simbólicas, contextuais e históricas.

A hipnose ericksoniana propõe "que se utilize tanto as tendências humanas gerais, como as características individuais do paciente."

O papel do terapeuta é ser catalizador. É ajudar o paciente a reconhecer novas possibilidades. Eliciar, ampliar ou ajudá-los a criar os recursos do pacientes.

Em psicoterapia, a mente e o corpo do paciente representam sua força primária para resolver o que precisa ser resolvido.

 

OS MEIOS DE INDUÇÃO ERICKSONIANA

  • Adaptar o tom de voz ao contexto;
  • Adaptar o ritmo do discurso à respiração do paciente;
  • Utilizar os elementos comportamentais, próprios, visíveis observáveis pelo sujeito e pelo terapeuta;
  • Utilizar idiossincrasias conhecidas;
  • Dar permissões;
  • Utilizar um vocabulário sensorial;
  • Preferir o vago e impreciso;
  • Utilizar amplamente todos os elementos da linguagem ericksoniana;
  • Desmitificar as crenças habituais sobre hipnose;
  • Utilizar o princípio da dissociação;
  • Utilizar palavras de ligação para religar;
  • Dar liberdade de resistir;

 

PARA O TERAPEUTA ERICKSONIANO REALIZAR UM BOM TRABALHO

  • Cada indivíduo é único;
  • Todo comportamento responde a um objetivo;
  • Cada um possui os recursos necessários e suficientes para viver como deseja de acordo com a capacidade de os adquirir;
  • É a resposta de nosso interlocutor que nos esclarece sobre o sentido do nosso discurso;
  • A comunicação existe em dois níveis, consciente e inconsciente;
  • Não é possível não influenciar;
  • Os obstáculos à terapia devem ser considerados como informações;
  • Preservar a ecologia (auto-proteção);
  • A verdade do sujeito é a única que conta;

 

INFORMAÇÕES SOBRE A HIPNOSE

  • Sabe-se que a habilidade de vivenciar o fenômeno hipnótico não está relacionada à crença nele;
  • A hipnose não está relacionada ao sono;
  • A responsividade (habilidade em responder durante o transe hipnótico);
  • As pessoas permanecem no controle de seu comportamento e conscientes do ambiente ao seu redor;
  • Pode-se ter respostas a sugestões sem que uma indução formal aconteça;
  • A hipnose não é perigosa, mas pode ser mal aplicada;
  • As pessoas hipnotizadas não estão fingindo ou simplesmente obedecendo ordens;
  • A hipnose não aumenta a precisão da memória ou de revivências literais;

 

INDICAÇÕES PARA O USO DE HIPNOSE

Qualquer terapia pode usar hipnose, desde que o terapeuta tenha uma meta, uma mensagem para transmitir ao cliente.

 

O QUE A HIPNOSE ACRESCENTA AO CONTEXTO TERAPÊUTICO:

  • A hipnose amplifica os aspectos da experiência pessoal;
  • Interrompe padrões;
  • Estimula o aprendizado vivencial;
  • Organiza e contextualiza;
  • Incentiva e modela a flexibilidade;
  • Cria foco.

 

FORMAS GERAIS DE USAR A HIPNOSE

  • Estratégias de manejo de sintomas;
  • Construção de habilidades e acesso aos recursos;
  • Desenquadramento e Reenquadramento;
  • Associação e dissociação.

 

A ABORDAGEM ERICKSONIANA ENVOLVE:

  • A PSICOTERAPIA
  • OS PRINCIPIOS
  • A ESTRATÉGIA
  • A UTILIZAÇÃO
  • A HIPNOSE

"A hipnose é a forma na qual duas pessoas reagem uma a outra. Um transe profundo resulta de um tipo particular de comunicação entre duas pessoas".

Milton Erickson.

 ATENÇÃO: TODA A FORMAÇÃO  DEVE SER FEITA EM UM INSTITUTO FILIADO À THE MILTON ERICKSON FOUNDATION.

 

 

 

BIBLIOGRAFIA PARA ABORDAGEM ERICKSONIANA E HIPNOSE EM CURSO.

 

  • ALBERTI, Robert E. e EMMONS, Michael L. Comportamento assertivo: um guia de auto-expressão. Belo Horizonte: Interlivros, 1978.
  • BAKER, Marilia, Homenagem a Elizabeth Moore Erickson:mulher extraordinária, profissional, esposa, mãe e companheira. Belo Horizonte: Diamante, 2004.
  • BRADEN, Nathaniel. Auto-estima e seus seis pilares. São Paulo: Saraiva, 2000.
  • CANFIELD, Jack, Os princípios do sucesso. Trad. Jaime Bernardes da Silva. Rio de Janeiro: Sextante, 2007.
  • CASULA, Consuelo C. Metáforas: para a evolução pessoal e profissional. Trad. Marcelo José de Carvalho;revisão técnica Jairo Mancilha. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2005.
  • DILTS, Robert, CRENÇAS - ERICKSON, Milton H. M.D. e ROSSI, Ernest Lawrence, Ph.D. O homem de fevereiro. Tradução de Helena Presbianchi. Campinas: Editorial Psy II, 1994.
  • ERICKSON, Milton H. M.D., HERSHMAN, Seymour M.D. e SECTER, Irving I. Hipnose médica e odontológica e aplicações práticas. Tradução de Rogério Montibeller e José Carlos Vitor Gomes. Campinas: Editorial Psy, 1998.
  • FABRE, Cecília. La granja de la esperanza – transformando lãs huellas de la vergüenza. Cecília Fabre. Editora, México, 2003.
  • FENSTERHEIM, Herbert e Baer, Jean. Não Diga Sim Quando Quer Dizer Não: Aprenda a se impor – e veja como tosa a sua vida mudará. 29ª ed. Tradução: Thomas Scott Newlands Neto. Rio de Janeiro; Record, 2004.
  • FERREIRA, Marlus Vinicius Costa. Hipnose na prática clinica. São Paulo: Ed. Atheneu, 2003.
  • FRANKL, Viktor E. Em busca de sentido: um psicólogo num campo de concentração. Petrópolis: Vozes, 1991.
  • GILLIGAN, Stephen. A Coragem de Amar.Belo Horizonte: Editorial Caminhos, 2001.
  • GORDON, David. Metáforas Terapêuticas. 1978. (não consta ao tradutor e editora.)
  • GOSWAMI, Amit. Janela visionária – Um guia para a iluminação por um Físico Quântico. São Paulo: Cultrix.
  • GRINDER, Richard Bandler John. Resignificando: Programação Neurolinguística e Transformação do Significado. 4ª ed. Tradução: Maria Sílvia Mourão Netto. São Paulo:Summus, 1982.
  • GURDJIEFF, G.I. Encontros com homens notáveis. Trad.Eleonora Leitão de Carvalho.São Paulo. Ed Pensamento1974.
  • HALEY, Jay. Terapia não-convencional: as técnicas psiquiátricas de Milton H. Erickson. Tradução de Norma Telles. São Paulo: Summus, 1991.
  • JOHNSON, Spencer, M.D. O Presente Precioso. 22ª ed. Tradução: Pinheiro de Lemos. Rio de Janeiro; Record, 2002.
  • JOHNSON, Spencer, M.D. “Sim “ ou “Não”. O guia para a decisão certa. Trad. A.B. Pinheiro de Lemos. 8ª ed. Rio de janeiro: Record, 2003.
  • KLEIN, Stefan. A Fórmula da Felicidade: Como as recentes descobertas das neurociências podem ajudar você a produzir emoções positivas, harmonia e bem estar.Tradução: Kristina Machahelles .Rio de Janeiro: Sextante, 2002.
  • KOHL, Susan e BREGMAN, Alice Miller. Viva um caso de amor com seu marido (antes que outra o faça). Rio de janeiro: Record, 2001.
  • KOTLER, Philip. A Boa Sorte: Criando as condições de sucesso na vida e nos negócios. 4ª ed. Tradução: Daniva Moscovo de Araújo. Rio de Janeiro: Sextante, 2004.
  • KOURILSKY-BELIARD, Françoise, Do desejo ao prazer de mudar: compreender e provocar mudança. Trad. Sonia Augusto. Barueri, SP: Manole, 2004.
  • MENDONÇA, Ângela Cota Guimarães e MENDONÇA, J. Augusto. Abrindo Portas com Amor – Caminhos na educação dos filhos e na prevenção de problemas futuros. Belo Horizonte: Editorial Diamante, 2002.
  • MENDONÇA, J. Augusto. A magia da hipnose na psicoterapia. Campinas: Editorial Psy, 1995; 2a.edição, Ed.Diamante, B.Horizonte, 2008.
  • MILLS Joyce, Resgatando a magia da vida: historias e práticas para alegrar o coração e nutrir a alma. Trad. Adriana Mancini e outros.. Belo Horizonte: Editorial Diamante,2006.
  • Munthe, Axel, O livro de San Michele. Trad. Jayme Cortezão. 16.ed.Rio de Janeiro: Globo,1987.
  • NEWMAN, Mildred e BERKOWITZ, Bernard. Como assumir sua vida. Rio de Janeiro: Forense-Universitária, 1987.
  • NEWMAN, Mildred e BERKOWITZ, Bernard. Seja você mesmo seu melhor amigo: um diálogo com dois psicanalistas. Rio de janeiro: José Olympio, 1997.
  • NUNES, Oldemar. Hipnose (hipnoterapia). São Paulo: Hemus editora. O’HANLON, William Hudson e DAVIS, Michele Weiner. Em busca de soluções. Tradução de Érika Elizabeth Patsch. Campinas: Editorial Psy II, 1994.
  • O’HANLON, William Hudson e MARTIN, Michael. Hipnose centrada na solução de problemas. Tradução de Yara Nagelschmidt. Campinas: Livro Pleno, 2002.
  • O’HANLON, William Hudson. Raízes profundas. Tradução de Jonas Pereira dos Santos. Campinas: Editorial Psy, 1994.
  • PHELPS, Stanlee e AUSTIN, Nancy. A afirmação da mulher. Belo Horizonte: Interlivros, 1977. PINCHERLE, Túlio Lívio, LYRA, Alberto, SILVA, Dirce Barsottini T., GONÇALVES, Allá Milsten. Psicoterapias e estados de transe. São Paulo: Summus, 1985.
  • RAMOS, Denise Gimenez. A pisque do Corpo: a dimensão simbólica da doença. 3ª ed. São Paulo: Summus, 2006.
  • RATH, Tom e CLIFTON, Donald O. Seu Balde Está Cheio? O poder transformador das emoções positivas na vida profissional e afetiva. 3ª ed. Tradução: Cristina de Assis Serra. Rio de Janeiro: Sextante, 2005.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS PARA ABORDAGEM ERICKSONIANA E HIPNOSE EM CURSO

 

Referencias para apostila

 

  • ROBLES, Teresa. A magia de nossos disfarces. Tradução de Adriana Mancini Machado e Eliete do Carmo Alves Pinto. Belo Horizonte: Editorial Diamante, 2001.
  • ROBLES, Teresa. Autohipnose – Aprendendo a caminhar pela vida. Tradução de Adriana Mancini Machado e Eliete do Carmo Alves Pinto. Belo Horizonte: Editorial Diamante, 2001.
  • ROBLES, Teresa. Concerto para quatro cérebros em psicoterapia. Tradução de Manuel Angel Valencia Rodrigues. Belo Horizonte: Editorial Diamante, 2001.
  • ROBLES, Teresa. Revisando o passado para construir o futuro – Manual de auto-hipnose. Tradução de José Roberto Fonseca. Belo Horizonte: Editorial Diamante, 2001.
  • ROBLES, Teresa. Terapia Feita sob medida – Um Seminário ericksoniano com Jeffrey K. Zeig.Tradução de Adriana Mancini Machado e Eliete do Carmo Alves Pinto. Belo Horizonte: Editorial Diamante, 2000.
  • Rosen, Sidney. Minha voz Irá contigo – Os contos didáticos de Milton H. Erickson. Tradução Rogério Raul Monte Beller. Campinas: Editorial Psy, 1997.
  • ROSSI, Ernest Lawrence Ph.D. A Psicobiologia da cura mente-corpo. Tradução de Ana Rita P. de Moraes. Campinas: Editorial Psy, 1997.
  • RUIZ, Don Miguel e Mills, Janet. A voz do Conhecimento. O livro da Filosofia Tolteca. Um guia Prático para paz Interior. Trad. Alice Xavier. Rio de Janeiro: Best seller, 2007.
  • RUIZ, Don Miguel, O Domínio do Amor. São Paulo: Nova Cultural LTDA; 1999.
  • RUIZ, Don Miguel. Os Quatro Compromissos: O livro da Filosofia Tolteca. 7ª ed.Tradução: Luís Fernando Martins Esteves.Rio de Janerio: Best Seller, 2005.
  • SELIGMAN, Martin E. P. Aprenda a ser Otimista 2ª ed. Tradução: Alberto Lopes. Rio de Janeiro: Nova Era, 1990.
  • SELIGMAN, Martin E. P. Felicidade Autêntica: Usando a Nova Psicologia Positiva para a Realização Permanente. Tradução:Neuza Capelo. Rio de Janeiro: Objetiva, 2002.
  • SILVA, Ana Beatriz B. Mentes inquietas. Rio de Janeiro: Napades, 2003.
  • STALLARD, Paul. Bons Pensamentos-Bons Sentimentos: Manual de terapia cognitivo-comportamental para crianças e adolescente. Manual de Terapia cognitivo-comportamental para crianças e adolescentes.Trad. Carlos A. S. Netto Soares. Porto Alegre: Artmed, 2004.
  • TELLES, Lygia Fagundes. A Disciplina do Amor.Rio de janeiro: Nova Fronteira, 1980.
  • TOLLE, Eckhart. O despertar de uma nova consciência. Trad. Henrique Monteiro. Rio de Janeiro: Sextante,2007.
  • TOLLE, Eckhart. O poder do agora – um guia para a iluminação espiritual. Trad. Iva Sofia Gonçalves Lima. Rio de Janeiro: Sextante, 2002.
  • WATZLAWICK, Paul, BEAVIN, Janet Helmick e JACKSON, Don D. Pragmática da comunicação humana. São Paulo: Cultrix,.
  • WATZLAWICK, Paul, Sempre pode piorar, ou, A arte de ser (in)feliz: uma abordagem psicológica. Trad. Irene Aaron. São Paulo: EPU,1984.
  • WEISSMANN, Karl. O hipnotismo. Belo Horizonte: Editora Itatiaia, 1978.
  • WILBERT, Ken. Psicologia Integral. São Paulo: Cultrix.
  • WILBERT, Ken. Transformação da Consciência. São Paulo: Cultrix, 1986
  • YAPKO, Michael D. Compreendendo a Depressão: 75 perguntas e respostas. Tradução de Ângela de O. Castro- Belo Horizonte :Ed. Diamante 2007.
  • Zeig, Jeffrey K. Seminários didáticos com Milton H. Erickson (M.D.). Campinas: Editorial Psy, 1995.
  • Zeig, Jeffrey K. Vivenciando Erickson. Traduzido por Rogério Montibeller & José Carlos Vitor Gomes. Campinas: Livro Pleno.
  • Zeig, Jeffrey K. Confluence: The selected Papers of Jeffrey K. ZEIG. Phoenix, AZ : Ed. ZeiG, Tucker,& Theisen, Inc. 2006.

 

Últimas Atividades

Acompanhe a cobertura das nossas últimas atividades. Veja fotos dos curso e palestras realizadas pela equipe do Instituto.


Palestra UFJF - 28 Jan 2014

Palestra UFJF - 28 Jan 2014

Palestra UFJF - Novo ICH - Algumas Considerações sobre a abordagem Ericksoniana.

J. Augusto Mendonça

J. Augusto Mendonça

Palestra "Melhores Pais, Melhores Filhos" em Rio Pomba.

images

images

© 2015 Instituto Milton H. Erickson de Juiz de Fora